banner

Destaques

Notícias

O último comunicado do PSD Cascais e do CDS Cascais é uma  tentativa de tirar os holofotes críticos de cima de si próprios, para evitar que os cidadãos e as cidadãs percebam que o que eles dizem defender e o que fazem são coisas diferentes.

PPERUCS

O voto da presidente da União de Freguesias de Carcavelos e Parede foi decisivo para a aprovação do Plano de Pormenor, apesar da Assembleia de Freguesia se ter pronunciado contra por três vezes.

O voto da presidente da Junta, Zilda Costa Silva, eleita pelo PSD/CDS, veio agravar ainda mais as condições políticas do seu mandato, pelo que a oposição fez aprovar na Assembleia de Freguesia uma moção de censura ao executivo duas semanas depois do voto da presidente na Assembleia Municipal.

Notícias

João Lavinha, o 2º da lista do BE às Europeias 2014, vem almoçar a 

ALCABIDECHE

Domingo, dia 18 de Maio 13:00 - 14:30

Restaurante "A Pimenteira"

Notícias

Conversas de Abril: sessões públicas de comemoração dos 40 anos do 25 de Abril de 1974.

Assembleia Municipal

O BE Cascais não pode deixar de manifestar a sua profunda preocupação pelos efeitos que terá no nosso concelho, em particular, e no país em geral o acordo de concertação social recentemente celebrado.

 Este acordo representa um retrocesso social e civilizacional para os trabalhadores e trabalhadoras, após conquistas de 35 anos pelos seus direitos sociais e económicos.

Assembleia Municipal

O Bloco de Esquerda de Cascais vem, uma vez mais, questionar a Câmara Municipal sobre graves situações a propósito do Hospital de Cascais.

Apesar de ser um Hospital recente e moderno, continua a instabilidade permanente.

O Bloco de Esquerda (BE) esta preocupado com a possível redução da actividade do Hospital de Cascais e o risco de dispensa de 200 profissionais.

Notícias

O espírito do 25 de Abril relembrado e vivido na sessão. Os valores de Abril, a participação das pessoas na vida social, económica e política, nos centros de decisão.

A Assembleia Municipal de Sintra aprovou a taxa de IMI a aplicar em 2018. O Bloco de Esquerda votou favoravelmente a proposta que, face a 2017, permitirá aos e às munícipes uma poupança de 2,7 milhões de euros.

Verifica-se, no entanto, que a autarquia abriu mão de algumas medidas essenciais para dinamizar a política de habitação no município através do IMI, nomeadamente pelo seu desagravamento nas casas arrendadas ou pela sua majoração em situações de casas degradadas ou devolutas, um recuo que beneficia, sobretudo, os interesses dos grandes proprietários e a especulação imobiliária.